segunda-feira, 15 de março de 2010

Quênia : a mulher e seu filho, em 1997
Imagem:
Susan Meiselas / Magnum Photos


BALAIO PORRETA 1986
n° 2961
Natal, 15 de março de 2010


HORÓSCOPO DA SEMANA

Áries
Procure lutar a favor dos oprimidos/excluídos.
Escute Beethoven, Bach, Bartók e Brahms.
Releia Manuel Bandeira. E Murilo Mendes.
Para relembrar: o inverno no Seridó em 2004 .


Touro
Indigne-se com a miséria social do mundo.
Tome um sorvete de rainha¹, em Campina Grande.
(Re)leia Machado de Assis e Guimarães Rosa.
Para recordar: o Choro da Feira, em Laranjeiras - Rio².


Gêmeos
Ouça 'Delicado' (Waldir Azevedo), ao lado da pessoa amada.
Seja você, em Vênus: alegre, expansivo(a), arrebatador(a).
Delicie-se com chocolates, sonhos, poemas e fotos antigas.
Para reviver, com emoção: as dunas natalenses.


Câncer
Seja saudável, evite refrigerantes, a FSP e a Veja.
Frequente as livrarias. Ouça o paraibano Pedro Osmar.
Defenda a legalização da maconha. Recomende Trotsky.
Para rememorar: a Ecovila Pau Brasil - Natal/Pium, RN.

Leão
Um herói brasileiro para cultuar: Zumbi dos Palmares.
Sonhe com os anéis de Júpiter. E de Saturno.
Uma boa semana para (re)ler Moby Dick, de Melville.
Para não esquecer: uma noite em Belo Horizonte.

Virgem
Uma herói brasileiro para cultuar: Frei Caneca.
Apaixone-se por Clarice Lispector. E Anaïs Nin.
Conheça a vida noturna de Campinas. E de Belém do Pará.
Para recordar: um baião-de-cinco em Porto Alegre.


Libra
Viaje para o interior, para ver a luminosidade das estrelas.
Leia sobre o zenbudismo. E sobre o materialismo dialético.
Multiplique os pães da sabedoria literária e musical.
Para relembrar: um fim de semana em Floripa, SC.


Escorpião
Leia histórias-em-quadrinhos. E Marize Castro.
Seja aventureiro(a), seja libertário(a), seja coerente.
Ouça Villa Lobos. E Paulinho da Viola. E Brahms.
Para renascer: o Rio de Janeiro de todos os sambas.


Sagitário
Conheça as amantes do Pe. Brito Guerra, na Caicó do séc. 19.
Namore. E namore. E namore. E namore, bastante.
Seja asiático(a). Seja africano(a). Seja latinoamericano(a).
Para rememorar: o Dom Quixote, de Cervantes.


Capricórnio
Que tal ler um ou dois livros de Graciliano Ramos?
Despreze a bundaxé music e o forró reeira³.
Seja uma mulher furiosamente pornográfico-dionisíaca.

Para recordar e recordar: um carnaval no Recife Antigo.

Aquário
Transfigure-se na Ecovila Pau Brasil - Natal/Pium, RN.
Sonhe com as águas encantadas de Fernando de Noronha.
Entre em contato com a natureza e os mares da imaginação.
Para relembrar: um filme de Jacques Tati. Ou de Buster Keaton.


Peixes
(Re)leia O velho e o mar, de Ernst Hemingway.
Um filme para sonhar: Nunca é tarde demais para amar.
Continue ouvindo sem parar: Billie Holiday.
Para reviver, com emoção: as dunas de Natal.

Serpente
Consulte o horóscopo chinês. E o tapuia-seridoense.
Fabrique um teletransporte e, com ele, visite Lisboa.
Prestigie a luta do MST. Prestigie as revoluções.
Para recordar: os quadrinhos de Fantasma e Mandrake.


Notas:

¹ Sorvete de rainha : Sorvete de castanha.
² Choro da Feira: Mais precisamente, o choro da Gen. Glicério,
em Laranjeiras, Rio, aos sábados, a partir de 11/11:30h
³ Reeira : De qualidade inferior; de quinta categoria; péssimo.

13 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Moacy,

adoro os aconselhamentos dos astros. O Balaio é poesia, entretenimento e informação.

Gostei das orientações, reler Machado é tudo de bom!

Beijos,
H.F.

Vais disse...

Dia, Moacy,
muito linda a imagem, o sorriso da que carrega e a carinha do carregado.
Gostei da sugestões, transfigurar-me, não só os mares, também os ares, as terras, os fogos da imaginação
E bom que podemos pegar as dos outros, como ouvir sem parar Billie Holiday, fabricar um teletransporte, lembrei de um estudante de física, aaaah! viajar para o interior... multiplicar os pães...apaixonar-se mais por Clarice...

um abraço

Assis Freitas disse...

Uma segunda-feira é feita de recomeços, por isso é bom recolher-se aos auspícios de fartas brevidades deste Horóscopo do Balaio. Abraço.

Anônimo disse...

Caro Amigo Moacy,

Feliz Aniversário mesmo atrasado. Para a poesia não há data. Para o amor todo tempo é tempo

Um forte abraço

damata

Aniversário

Fernando Pessoa
(Álvaro de Campos)



No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer.

No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar para a vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim-mesmo,
O que fui de coração e parentesco.
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui — ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui...
A que distância!...
(Nem o acho...)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a umidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes...
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas
lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio...

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos...
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma de se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim...
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui...
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas — doces, frutas o resto na sombra debaixo do alçado —,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos...

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!...

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!...

Marcelo Novaes disse...

Moa,


Budaxé e forró reeira tem por aqui..., e muito...







Abração.

nina rizzi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila disse...

Moacy, que inusitado isso.
Adorei!

Mirse Maria disse...

Oi Moa!

Bela imagem!

Quanto ao LEÃO, aceito tudo, com exceção da noite.


Beijos

Mirse

DILERMArtins disse...

Mas bah, Moacy.
É minha primeira vez por aqui, sempre leio seus comentários lá no Luzes da Cidade.
Muito bom seu horóscopo, acho que poderia ser transformado em um meme. Pense nisso.
Parabéns pelo blog.
Voltarei...

Mme. S. disse...

Afora as recomendações do meu signo, tem uma outra coisa que sempre farei: vir sempre aqui!
beijos, querido.

Mariana Botelho disse...

Moa, tu ta ficando bom nisso, hein?

o meu deu certinho. ó bandeira me acompanhando...rsrs

Pedrita disse...

bela imagem. beijos, pedrita

Maria Muadiê disse...

sou ariana. ouvirei todos os conselhos.