quarta-feira, 4 de abril de 2007

SEDE
de Sandra Camurça (Recife, PE)
[ in O Refúgio ]

teu corpo molhado

suor que bebo depois que mato

a sede de gozo no ato


BALAIO PORRETA 1986
nº 1988
Rio, 4 de abril de 2007


FILMES (RE)VISTOS EM 2007
Atualização mais recente: 03/04/2007

Nossas cotações:
*** Excelente
** Ótimo
* Bom
# Interessante
º Decepcionante
[R] Revisão

Nos cinemas & centros culturais:

[R] Uma mulher sob influência *** (Cassavetes, 1974)
Primeiro amor ** (Kieslowski, 1974), média
Curriculum vitae ** (Kieslowski, 1975), média
Cabeças falantes ** (Kieslowski, 1980), curta

Eu era um soldado ** (Kieslowski & Titkow, 1970), curta
O ponto de vista de um guarda noturno ** (Kieslowski, 1977), curta
Cartas de Iwo Jima * (Eastwood, 2006)
Os infiltrados * (Scorsese, 2006)
O segredo de Beethoven * (Holland, 2006)
[R] A rainha * (Frears, 2006)

Raio X * (Kieslowski, 1974), curta
O escritório * (Kieslowski, 1966), curta
Pedreiro * (Kieslowski, 1973), curta
A fábrica * (Kieslowski, 1971), curta

O último rei da Escócia # (Macdonald, 2006)
Brilhante # (Conceição Senna, 2005)
Dias selvagens # (Kar-wai, 1991)

Em casa:

A mocidade de Lincoln *** (Ford, 1939)

Operários, camponeses *** (Straub & Huillet, 2001)
[R] One plus one *** (Godard, 1968)
[R] O desespero de Veronika Voss *** (Fassbinder, 1981)
[R] High noon / Matar ou morrer ** (Zinnemann, 1952)
[R] Shane / Os brutos também amam * (Stevens, 1953)
Thelma & Louise * (Scott, 1991)

O último magnata # (Kazan, 1976)

POESIA DE

JOSÉ LUCAS DE BARROS (Serra Negra do Norte, RN)

Mote:
Não posso vencer a morte,
mas irei de má vontade.


Glosa:
Mesmo que eu pareça forte
como touro premiado,
serei um dia enterrado,
não posso vencer a morte;
do Rio Grande do Norte
levarei muita saudade...
Promessas de eternidade
me fazem crer noutra luz.
Eu sei que é pra ver Jesus,
mas irei de má vontade.

[ in Caminhada. Natal, 1998 ]

3 comentários:

sandra camurça disse...

Caríssimo Moacy,

Obrigada pela publicação do poema.

Boa Páscoa, se acaso não nos falarmos via blogs até sexta-feira.

Beijos.

Marco disse...

Caro mestre,
Belos poemas, especialmente o de Lucas de Barros. Sobre os filmes arrolados, discordo de algumas cotações (A Rainha, uma estrela??? Cartas de Iwo Jima, só uma?), mas uma obra de arte "bate" de forma diferenciada nas pessoas.
Maravilha vir ao Balaio, sempre.
Caro mestre, vai ser um enorme prazer tê-lo na platéia do Nhoque. Depois do espetáculo fique para um dedinho de prosa.
Boa Páscoa. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Jens disse...

Moacy:
nossa amiga Sandrinha está matando a pau com seus poemas.
O poema do José Lucas de Barros também é muito bom.
Na verdade, você tem um talento especial para divulgar bons poetas - desconhecidos para nós aqui do extremo sul.
Não sei se vou poder voltar aqui antes da semana que vem (trabalho, muito trabalho), portanto: Feliz Páscoa.
Um abraço.