domingo, 27 de abril de 2008


Hoje é dia de clássico no Maracanã:
Flamengo e Botafogo
iniciam a decisão do Carioca 2008

Imagem:
Mané Garrincha - Alegria do povo,
de Rubens Gerchman


BALAIO PORRETA 1986
n° 2297
Rio, 27 de abril de 2008



SINAIS
de Bosco Sobreira (CE)
[ in A Pedra e a Fala ]

Esqueci a vírgula
em algum lugar do passado

Já não me serve mais:

Como pode o homem separar
o que a dialética uniu?

(Aprendi na convivência com
anjos e demônios
os meus e os dos demais)

Ultimamente
vivo de espalhar pontos
pela vida

(Reticências
quis dizer)

Interrogações e Interjeições
são meu sustento
e minha alegria

(Meu pão meu mel)

Ponto-e-vírgula
pouco se me dá:
coisa de homens de pouco fôlego
(e pouca fé)

Por fim
(afinal)
com a serenidade
de gatos espiando a lua
aguardo o Ponto
que de longe
se avizinha
célere:

Final


DONATÁRIA
Lívio de Oliveira
(RN)

Sobre tuas coxas
deixo o meu sonho,
enquanto arranhas minhas costas.

Entrego-te, também,
minhas armas,
minhas botas
e meu todo desejo.

Envolto em teus cabelos,
amacio-me nas luas abertas de teu umbigo,
entrego minha língua
às órbitas encrespadas de tuas auréolas.

Eis o momento em que não reflito.
Apenas, em mais um lapso de insanidade,
dôo-me ao teu encanto múltiplo
e salto para o abismo
de tua fêmea magia.


RECOMENDAMOS ESPECIALMENTE

Estômago (Brasil-Itália, 2007), de Marcos Jorge. No Arteplex/5.
Com João Miguel e Fabiula Nascimento, excelentes.
"Nessa relação curiosa entre sexo e comida, o filme de fato tem um certo tempero de um cinema italiano provocativo, em especial o célebre A Comilança, de Marco Ferreri. Mas o que poucas pessoas apontaram é que, mais que explorar o instinto como mola propulsora da natureza humana (o sexo e a gula), esse lado animalesco dos personagens, Estômago afinal se revela uma fábula amarga sobre o poder, e é exatamente esta constatação que nos chega a partir de um final ambíguo, que provoca uma certa indisgestão no espectador" (Marcelo Ikeda).

4 comentários:

hipergheto disse...

Moacy, há quanto tempo, hein cara? Um grande abraço e vida longa.

Bosco Sobreira disse...

Moacy, valeu pela força. Obrigado, mais uma vez.
Forte abraço.

Marcelo F. Carvalho disse...

Bosco realizou um belíssimo poema! Vírgulas faço para todos os bons adjetivos que gostaria de pontuar neste ótimo "Sinais".
___________________________
Abraço forte!

Marco disse...

Estou pra ver este "Estômago". O Sergio Britto já tinha me recomendado. Carpe diem.