quinta-feira, 17 de julho de 2008


Foto:
Scott James Prebble
in
DeviantArt
via
Corpo Estranho


BALAIO PORRETA 1986
n° 2371
Natal, 17 de julho de 2008


Quando não se ousa amar sem reservas
é que o amor já está muito doente.

(Goethe. Poesia e verdade, 1830)


POEMA PARA

tua boca, quente e aveludada,
acaricia o meu sexo.
língua-prazer
língua-paixão
língua-pásargada
gesto que me doidice
enquanto, lusco e fusco,
navego em teus horizontes mais íntimos
para te lamber
todatodinha
até que sejamos
(sonhos e crepúsculos)
uma só pele
um só tato
um só gemido
na noite espanto de novembro.

Moacy Cirne
[ in Cinema Pax, 1983 ]

12 comentários:

Mme. S. disse...

"Poema Para" é absolutamente uma das melhores poesias que li ultimamente. E olhe que ainda nem estamos em novembro. Um beijo, S.

Jens disse...

Clap! Clap! Clap!
Parabéns, Moacy. Excelente poema.
***
PS: estou querendo me apaixonar (na verdade, estou em pleno processo). Vou incluir o teu poema no meu arsenal de sedução. Possivelmente eu assuma a autoria perante os olhos da minha amada. Mas não se trata de plágio. É paixão.
Sorry qualquer coisa, hehehe...
Um abraço.

mario cezar disse...

meu caro, os peitos de madonna e agora, a xoxota , em penumbra de orvalho. incandeiam . abraços

ana poeta. disse...

Moacy.

Uma avassaladora construção poética.


Beijos Poéticos.
;**

adelaide amorim disse...

Disse bem a Ana Poeta: avassalador.
Olha, dei uma enxugada no poeminha lá do Inscrições - menos grandiloqüência sempre melhora. Por conta disso acho que devia tirar aquelas interrogações que vc deixou (valeu mesmo), e vou tentar. Nunca fiz isso antes, espero que dê certo.
Beijo.

Vais disse...

UUUAAAAAAAAAUUUUUUUU!!!! MOACY
Beijo

lexdesouza disse...

Professor,

Tentei falar com o senhor via o e-mail balaio86@oi.com.br, mas não obtive resposta. Ele ainda está ativo?

Abraços,

Alex de Souza - lexdesouza@gmail.com

Beti Timm disse...

Um amigo em comum, blogleiro, o Jens acabou de me mandar teu poema. Não resisti, vim correndo aqui conferir. Confesso: estou extasiada, babando literalmente, e querendo me apaixonar bem rápido pra exercer tudo o que o teu poema fala! Parabéns!! beijos tontos

Lívio Oliveira disse...

Beleza! Beleza!
Gostei da mutação na função das palavras:
"...gesto que me doidice
enquanto, lusco e fusco..."

Eliene Dantas disse...

Oi Moacy, agora estou também com o www.saojosedoserido.com e vc tá lá comigo, bj

Marco disse...

Beleza de poema e de foto, caro mestre Moacy. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Maria Maria disse...

Simplesmente me arrepiei com esse final de novembro. Belíssimo!!!!! Beijos de Maria Maria