sexta-feira, 12 de setembro de 2008


Outras terras, outros mundos:
Boise, capital de Idaho (USA)

Foto: autoria desconhecida


BALAIO PORRETA 1986
n° 2423
Natal, 12 de setembro de 2008


Cento e um sonhos, contigo! E nunca é tarde
para um sonho em nossa alma guardar guarida!
(Damasceno BEZERRA, RN - 1902-1947, in Insaciável)


TORONTO, CAPITAL DOS ESTADOS UNIDOS

Thaís, Thaíssa e Thiago, filhos de Fátima Arruda, minha companheira, são pessoas muito queridas. E inteligentes. E como Thaíssa encontra-se nos Estados Unidos, em Boise, para uma temporada de seis meses (quando estudará a língua oficial do país, o sueco-franco-jupiteriano), resolvi lhe fornecer algumas dicas preciosas sobre a terra de Ernst Hemingway. Já o fiz, em parte, através de emeios. Por exemplo:

[] Que não deixasse de conhecer Catolé do Rocha, ao lado de Boise;

[] Que não deixasse de visitar o Alecrim, principal bairro de "sua" cidade americana;

[] Que não deixasse de ver, no Juvenal Lamartine, na Rua da Pista, o próximo ABC x América;

[] Que, uma ou duas vezes por semana, passasse pelo Grande Ponto.

[] Que, ao aprender o sueco-franco-jupiteriano, se dirigisse às avós da terra do Tio Sam como "gandulas", visto que todas elas adoram futebol (é verdade que o futebol praticado por lá é muito esquisito, já que os jogadores se apresentam em campo como gladiadores romanos);

[] Que, na primeira oportunidade, procurasse conhecer Toronto, a bela capital americana;

[] E que, por fim, em todas as ocasiões, revelasse o seguinte: a capital do Brasil não é Paris. Nem Buenos Aires. E, sobretudo, que a cidade de Caicó não se localiza no Canadá. Nem no Iraque.


MÁXIMAS E MÍNIMAS DE MAX NUNES
[ in Uma pulga na camisola, org. Ruy Castro, 1997 ]

O sonho de todo homem de 85 anos
é ser assassinado por um marido ciumento.

Mesmo que tivessem toda a inteligência que lhes falta,
algumas pessoas ainda seriam burríssimas.

Subliteratura é a literatura dos outros.

Era um sujeito muito calmo.
Mesmo depois de morto conservou o sangue-frio.

O tango é o Código Penal com música.

Se Abel tivesse sido assassinado por aqui,
até hoje ninguém saberia que o criminoso era o Caim.

Houve um tempo em que os animais não falavam.
Alguns ainda continuam.

6 comentários:

benechaves disse...

Moacy: parabéns pelo lançamento do livro! A capa do Falves ficou muito bonita, assim como o projeto gráfico. Já estou folheando e lendo, evidentemente. Já li até os anos 60.
Vi o trêiler de 'L'Aventura' e tenho o filme aqui comigo para revê-lo a qualquer momento.
Sobre as 'máximas e mínimas' fico com a segunda e a última. São um primor!

Um abraço...

suely disse...

Bom dia,

Foi ótimo ter ido ao lançamento do seu livro. Vou reservar este final de semana para apreciá-lo. Será ótimo recordar antigos filmes já assistidos. Dentre tantos, um que gostaria de assistir novamente é "Laranja Mecânica".
Abraços.
Suely Magna

Jens disse...

Oi Moacy.
Antes de mais nada, parabéns pelo lançamento do livro.
***
Segundo: Chico Doido de Caicó continua matando a pau. Existe algum livro onde estejam reunidos seus poemas?
***
Sobre Chapeuzinho Vermelho, manchete de ZH: Prenda gaúcha mata Lobo Mau petista.
***
Ué, onde fica Caicó? No Azerbaijão?
Um abraço. Bom findi.

Anônimo disse...

kkkkkk...
Obrigada pela homenagem!!!
E vou fazer o possivel para nao voltar para o Brasil sem ter visto tudo isso que voce me indicou.
bjao
Thaissa

ana de toledo disse...

Puxa, nem soube... anyway, Parabénsss!

Carito disse...

Mestre Moacy: parabéns pelo lançamento... Estou adorando assistir ao livro!!!