sexta-feira, 31 de outubro de 2008


Clique na imagem
para verouvir
a famosa seqüência
de Cyd Charisse & Fred Astaire
"dançando no parque"
em
The bandwagon / A roda da fortuna
(Minnelli, 1953)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2467
Rio, 1 de novembro de 2008

A roda da fortuna, tal como a maioria dos musicais, fala-nos do compromisso do casamento de tendências antagônicas. As personagens, por exemplo, exemplificam a batalha travada entre a a cultura popular e a erudita ... Esta fusão estética dá origem a um romance, imortalizado pelo pas de deux em Central Park ('Dancing in the Dark').
(Adrian Martin. 1001 filmes para ver antes de morrer, 2003)


Cinema/Revisão
OS MELHORES FILMES MUSICAIS


1. A roda da fortuna (Minnelli, 1953)
2. Cantando na chuva (Kelly & Donen, 1952)
3. Amor, sublime amor (Wise & Robbins, 1961)
4. Sinfonia de Paris (Minnelli, 1951)

Nota:
Embora Cantando na chuva permaneça o mais emblemático dos filmes musicais, hoje, depois de mais uma revisão, a minha preferência - até segunda ordem - se volta para A roda da fortuna, que, aliás, vi pela primeira vez em fevereiro de 1954 no São Luiz, de Recife.


De resto...
(cartaz de autoria não identificada,
cuja matriz gráfica e temática é
Shepard Fairey)

Clique na imagem
para verouvir
o democrata Obama
falando numa igreja
sobre política & religião,
a partir de uma sugestão
in
Substantivo Plural,
encaminhada por Pablo Capistrano

12 comentários:

Mme. S. disse...

A esperança não deveria ser a última que morre, somente. Mas também a primeira que nasce.
Beijos, estava com saudades de vir aqui, S.

homoluddens disse...

Moacy, sobre a autoria do cartaz depois dá uma olha nesse link e avalie: http://www.posterpage.ch/exhib/ex216oba/ex216oba.htm
homoluddens

Cosmunicando disse...

demais rever essa dança...

Francisco Sobreira disse...

Moacy,
Embora goste de A Roda da Fortuna, que vi há muito tempo, considero-o em plano inferior a Cantando na Chuva, Amor, Sublime Amor e Sinfonia de Paris,(nessa ordem) os 3 maiores musicais, na minha visão. Um abraço.

sandra camurça disse...

Moacy, pra variar não consigo ver essas imagens pra clicar mas deixa pra lá... Ah, tenho uma ótima notícia, lembra-se que eu comentei uma vez que o São Luiz tinha fechado suas portas, pois é, mas vai reabrir (OBA!!!) o governo do Estado ficará responsável e Lula Cardoso Ayres Filho é o autor do novo conceito para o cinema: um corredor cultural na rua da Aurora, unindo o Mispe (museu da imagem e som), o cine-teatro Arraial e o próprio São luiz. Ele é cinéfilo e dirige o Intituto Lula Cardoso Ayres, onde exipe filmes antigos, em super8. Tão comentando que o filme que será exibido na reinuguração é um clássico da chanchada nacional, O Homem do Sputinik, de Carlos Manga. Maravilha, hein?!!!!
Beijos.
Ó, some mais não, viu?
Se não vai levar um peteleco na orelha.

homoluddens disse...

Já tinha passado por aqui mas não tinha aberto o link do vídeo. Achei que tivesse em língua estranha, por isso não me interessei, mas bastou um clique para perceber que tem legenda. Obama disse o que se espera de um político democrático, que governe para todos, independente de suas convicções religiosas. Não saberia avaliar o grau de ousadia que o discurso contém dentro do que já se fez e falou nos EUA. De toda forma, pelo que venho lendo, OBama parece ser a melhor alternativa, para os norte-americanos e para nós, sulamericanos.
De resto, uma piadinha infame: No Rio, eu voto em Barack Obina! rs.
2. Meu comentário aqui no balaio sobre o Curupira virou um post em homoluddens.
3. Através do Balaio eu cheguei em Substantivo Plural. Confesso que tenho dificuldades no blogue, tem um formato diferente, vários comentadores, nem sei... Mas já li coisas bem interessantes por lá.
abraços, homoluddens

homoluddens disse...

Já tinha passado por aqui mas não tinha aberto o link do vídeo. Achei que tivesse em língua estranha, por isso não me interessei, mas bastou um clique para perceber que tem legenda. Obama disse o que se espera de um político democrático, que governe para todos, independente de suas convicções religiosas. Não saberia avaliar o grau de ousadia que o discurso contém dentro do que já se fez e falou nos EUA. De toda forma, pelo que venho lendo, OBama parece ser a melhor alternativa, para os norte-americanos e para nós, sulamericanos.
De resto, uma piadinha infame: No Rio, eu voto em Barack Obina! rs.
2. Meu comentário aqui no balaio sobre o Curupira virou um post em homoluddens.
3. Através do Balaio eu cheguei em Substantivo Plural. Confesso que tenho dificuldades no blogue, tem um formato diferente, vários comentadores, nem sei... Mas já li coisas bem interessantes por lá.
abraços, homoluddens

homoluddens disse...

Já tinha passado por aqui mas não tinha aberto o link do vídeo. Achei que tivesse em língua estranha, por isso não me interessei, mas bastou um clique para perceber que tem legenda. Obama disse o que se espera de um político democrático, que governe para todos, independente de suas convicções religiosas. Não saberia avaliar o grau de ousadia que o discurso contém dentro do que já se fez e falou nos EUA. De toda forma, pelo que venho lendo, OBama parece ser a melhor alternativa, para os norte-americanos e para nós, sulamericanos.
De resto, uma piadinha infame: No Rio, eu voto em Barack Obina! rs.
2. Meu comentário aqui no balaio sobre o Curupira virou um post em homoluddens.
3. Através do Balaio eu cheguei em Substantivo Plural. Confesso que tenho dificuldades no blogue, tem um formato diferente, vários comentadores, nem sei... Mas já li coisas bem interessantes por lá.
abraços, homoluddens

Anônimo disse...

moacy, errei aqui. desculpe, apague os excessos.
homoluddens

Jens disse...

Oi Moacy.
Simplesmente maravilhoso espetáculo de dança. Faz lembrar tempos mais simples e românticos.
Quanto ao Obama, parece que vair dar. Oremos.
Um abraço.

benechaves disse...

Moacy: esta sequência é realmente antológica. E a Cyd Charisse era maravilhosa, hein? Que belas pernas!

Um abraço...

Cinecasulófilo disse...

Caro Moacy,
como vai:::
para mim o melhor filme musical é CRONICA DE ANNA MAGDALENA BACH
Um abraço,