sexta-feira, 10 de outubro de 2008


Imagem:
Andrew V. Pashis
in
ALT Photos


BALAIO PORRETA 1986
n° 2450
Rio, 10 de outubro de 2008


... a filosofia é uma especulação ativa, e as questões filosóficas não são, por sua própria natureza, insolúveis. Na verdade, são radicalmente diferentes das questões científicas, porque dizem respeito às implicações e outras inter-relações de idéias, e não à ordem de eventos físicos; suas respostas são mais interpretações do que relatórios fatuais, e sua função não é aumentar nosso conhecimento da natureza, mas sim nossa compreensão daquilo que sabemos.
(Susanne K. LANGER. Sentimento e forma, 1953)


BABY-ME
Mariana
[ in Suave Coisa ]

... e se hoje eu chover
por favor
me beba


POEMA
Ada Lima
[ in Menina Gauche ]

Construo-me
com tinta
no pano frágil da folha.

Desfaço-me
entre dosséis
de poemas alheios.


O PENSAMENTO VIVO DE CÂMARA CASCUDO
[ in Ontem. Natal, 1998 (1972) ]

Certas erudições servem unicamente para manter o erudito. (p.43)

Valorize a autenticidade e destino de sua vassalagem mental. Não aceite procuração. Admire em razão pessoal. Acompanhe a processão, mas reze, sozinho, no altar. (p.43-44)

Técnica! Quantos crimes cometidos em teu nome! (p.45)

Alguns professores não distinguem entender de compreender. A mesma distância entre olhar e ver. (p.47)

Éramos mais intimamente eróticos e menos libidinosos que os jovens contemporâneos. Pecávamos por pensamento teimoso, assíduo. dominador. Na ausência da nudez, toda pele desnuda, toda proximidade feminina, excitava. ... Os poetas cantavam o corpo feminino como idealidade indevassável. O beijo era uma loucura e uma valsa consagrava a saudade sentimental. O pé significava uma inspiração inesgotável. Agora, o contato desencantou a magia do sexo. (p.65)


UMA PEQUENA HISTÓRIA DE CASCUDO
[ in Ontem, p. 84 ]

"Os dois irmãos haviam estudado em Londres e agora nacionalizavam o curso. Examino em História do Brasil [ no Atheneu Norte-Rio-Grandense ] o segundo mano, inquieto, sorridente. com olhos bailarinos. Primeiro ponto. Descobrimento! Desembrulha e exibe, natural e tranqüilo, quanto suficientemente decorou. Ao terminar, pergunto: 'Álvares Cabral navegou para as Índias. Como o Rei de Portugal teve notícias da Ilha de Vera Cruz?' Batendo as pálpebras, surpreendido, detonou a resposta fulminante: 'Muito simples! Passou um telegrama!' 'Telegrama em maio de 1500? O senhor não acha muita antecipação para o Cabo Submarino, surgido entre nós três séculos e meio depois?' Mas aprovei o arauto das transmissões elétricas no último ano do século XV". [Em tempo: o aluno em questão era Sílvio Pedroza, futuro governador do Estado.]

13 comentários:

homoluddens disse...

1.moça bonita essa aí.
2.nos últimos dias descobri vários blogues por aqui. Não sou muito bom para encontrá-los.
Valeu.
Abraços.

George de Lucena disse...

"Agora, o contato desencantou a magia do sexo."

Que verdade difícil de negar, essa!

Abraços.

Milton Ribeiro disse...

Moacy.

Foste citado por mim. Assunto: a Bravo!

http://miltonribeiro.opensadorselvagem.org/100-obras-essenciais-da-musica-erudita-ou-vendendo-ignorancia/

Abraço.

Anônimo disse...

Não sei se o meu entendimento da "pequena história de cascudo" foi o correto, de todo modo, eu gostei muito. Muito bom.
Valeu.
Douglas Thomaz.

Mariana disse...

:-))

balaio porreta vicia.

ada disse...

Uma das melhores coisas que o Balaio me proporcionou foi encontrar o blog da Mariana.
Moacy, grata pela citação do poema aqui.
Grande abraço!

Ane Brasil disse...

hehehehe! é, é isso que dá fazer-se papagaio pra ensinar!
Sorte e saúde pra todos!

lielson disse...

Moacy, li seus livros sobre HQ e encontrei seu blogue, que conduziu-se quase sozinho à lista de favoritos e hoje é da feitoria de minhas leituras diárias.

ouviu falar sobre o caso do professor Wilson Martins Teixeira, que perdeu seu emprego no RJ por escrever poesia erótica? é dos casos que dá uma tristeza no peito...

abraço e admiração!

Grupo Casarão de Poesia disse...

O poema da Mariana bebemos em cálice de carne! Lindo!

Abraços poéticos!

Grupo Casarão de Poesia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mulher na Janela disse...

Querido Moacy, fiquei apaixonada pela poesia da Mariana. Simples, forte, bela!

Um beijo do Seridó!

Carito disse...

Belíssima foto, Moacy! E concordo com Ada: adorei esse poema e o todo o blog de Mariana. Quanto ao belo poema de Ada eu já o conhecia, pois sou fã dessa menina e leitor assíduo do seu blog!

Pavitra disse...

oi, moacy

obrigada pela visita!
até a poesia da minha "suave" amiga está aqui... e adorei isso aqui... vou ler mais! muito mais!

abraços