segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009


A arte de
Gustave Doré,
que, como poucos,
soube captar o mundo
das acontecências bíblicas


BALAIO PORRETA 1986
n° 2563
Rio, 9 de fevereiro de 2009


A Bíblia não foi escrita de uma só vez. Levou muito tempo, mais de mil anos. Começou em torno do ano 1250 antes de Cristo, e o ponto final só foi colocado cem anos depois do nascimento de Jesus. Aliás, é muito difícil saber quando foi que começaram a escrever a Bíblia. Pois, antes de ser escrita, a Bíblia foi narrada e contada nas rodas de conversa e nas celebrações do povo. E antes de ser narrada e contada, ela foi vivida por muitas gerações num esforço teimoso e fiel de colocar Deus na vida e organizar a vida de acordo com a justiça. // No começo, o povo não fazia muita distinção entre contar e escrever. O importante era expressar e transmitir aos outros a nova consciência comunitária, nascida neles a partir do contato com Deus. ... A Bíblia saiu da memória do povo. Nasceu
da preocupação de não esquecer o passado.

(Frei Ludovico GARMUS. Introdução geral à Bíblia Sagrada, 1983)


O LIVRO DOS LIVROS
(7a)

Texto estabelecido por
Moatidatotatýne, o Escriba,
com supervisão teológica de
Emmannuel Tigre Cabral

Assim caminha a humanidade
- Parte 1 -

O mundo continuava para os vivos. Zeferino Cabeção - que, à distância, vira a destruição de Axé Musiqueta e Gonorreia - resolveu partir para o Ceará, para os lados de Nova Russas. Em lá chegando, xeleléu (¹) como sempre, mais uma vez deixou que sua mulher se passasse por irmã, para que ela fosse usada, e muito bem usada, pelo 'majó' Chicó Theodorico. E assim aconteceu. E de tanto ser usada pelo 'majó', a mulher abandonou Zeferino Cabeção. E assim foi. Desiludido com a vida, Zeferino Cabeção passou a amarrar o gato (²) quase diariamente.

E o Senhor das Alturas, acatruzado (³) com as presepadas de Zeferino Cabeção, sentenciou para seus jagunços: "Phoda-se a humanidade, como dirá o filósofo Fócrates, dentro de alguns séculos". Mas a humanidade caminhava. Caminhava a humanidade. O próprio Zeferino Cabeção encontrou uma nova mulher, a jovem Adri Adriannita, a morena mais desejada de todo o Ceará, que em dúvidas ficou, questionando-se: "Valerá a pena? Será que tudo vale a pena se a alma não é pequena?" (ª)

E o Senhor das Alturas, já esquecido de sua chateação com os humanos, apareceu em sonho para Adri Adriannita e lhes disse: "Ficai com Zeferino Cabeção e lhe dai um filho, que se chamará Chico Doido Vulgo Isaque Doidão. A humanidade precisa se expandir". E Adri Adriannita, ao acordar, olhando para os céus, respondeu-lhe: "Tá pensando o quê, oh Velho das Alturas? Que sou uma mulherzinha qualquer? E se eu gostar de outro, hem?" E uma voz, da noite para o dia (ªª), trovejou em sua cabeça: "Mais respeito Comigo, visse? Façai o que te ordeno e serás feliz".

Mesmo assim, Adri Adriannita relutava. E se Zeferino Cabeção não fosse um bom homem? E se não fosse carinhoso nas artes do amor no embalo de uma boa rede? E se fosse um patriarca fuleiro? Mas seus parentes concordaram com o Senhor das Alturas, abençoaram-na e disseram: "Tu, irmã nossa, multiplica-te aos milhares e os teus descendentes conquistem as cidades inimigas". E assim foi. E assim aconteceu.

E assim aconteceu. E assim foi. E da união dos dois nasceu Chico Doido Vulgo Isaque Doidão, o maior raparigueiro entre todos os rapariguentos (ªªª) do Ceará e adjacências, autor de quadrinhas fesceninas que anos e anos depois seriam copiadas pelo Rei Salomão Ão Ão. E Chico Doido Vulgo Isaque Doidão conheceu Rebeca de Jericoacoara, e por ela se apaixonou, aquietando-se em sua venturanças raparigais. E os dois se uniram.

E os dois, unidos, consolaram Zeferino Cabeção, quando o velho patriarca foi abandonado por Adri Adriannita, que se apaixonou pelo jovem poeta Marcellus Novello. Assim caminhava a humanidade. Assim caminha a humanidade. E muitos se perguntavam: "E agora, o que acontecerá com Adri Adriannita e Marcellus Novello? Será que o Senhor das Alturas vai se indignar com os dois?"

(Continua)

Notas dos editores d'O livro dos Livros:

(¹) Xeleléu : Bajulador, Baba-ovo, Lambe-cu
(²) Amarrar o gato : Embriagar-se
(³) Acatruzar : Aborrecer, Importunar

Notas complementares:

(ª) Indagação antecipatória dos versos de um poeta português do séc. XX da Era Comum.
(ªª) Da noite para o dia : De repente.
(ªªª) Raparigueiro entre os rapariguentos : Mulherengo entre os mulherengos.

14 comentários:

adrianna coelho disse...


ahahahahahahahahahhahaaaa

tomara que esse Senhor das Alturas tenha juízo,
pq se ele se meter com Adri Adriannita e Marcellus Novello,
eu tiro Nietzsche da cova
(mas ele nem tinha nascido ainda)
- eu dou meu jeito!

ahahahahahahahaa

putz, acordei com uma bela gargalhada...

bom dia, moa.

beijão

adrianna coelho disse...


ah, e tbm chamo o delirante Dawkins!!

avisa aí ao Senhor da Alturas... rsrsr

Marcelo Novaes disse...

Hummm...


Esse senhor das alturas faz muita bestage. E o Marcellus Novello pode, na pior das hipóteses, ficar enrolado por um tempo. Mas se safa. O Senhor das Alturas já trovejou tanta tolice, que deverá estar perdendo a moral junto às suas não-tão-sagradas criaturas.Porém, menos temperamentais do que Ele mesmo. Exceção feita a um ou outro maluco por ele concebido. Digo, em sua Idéia. Pois, pelo que saiba, o senhor das alturas nunca se deitou com rapariga...

(será por isso que sofre assim dos humores... hummm? hummm?!)


rs rs rs



Abração, Moacy.





Marcelo.

Cosmunicando disse...

hahahahahahahahahaha... essa saga agora ficou muito familiar!
eu tô chorando de rir Moacy, esse Escriba sabia de tudo e mais um pouco =))

beijos!

Theo G. Alves disse...

zeferino precisa mesmo de um cabeção pra aguentar tanto chifre assim.

abraço!

Jens disse...

IÁÁÁÁ!!! Enfim revelada a origem de Chico Doido, filho do grande Zeferino Cabeção com a gostosa Adri Adriannita. Só podia ser.

Cássio Amaral disse...

O trem tá bão aqui brother.

Me perdoe meu silêncio. Saudade sua e de estar aqui.

Muita luz, e vou conferir tudo das postagens aqui. Muita luz e saúde.

Abração.

J.F. de Souza disse...

E num é que essa história é mesmo porreta?

-----------------------------------

E assim a vida anda
Humanidade segue
Não se sabe nem praonde
Mas seguem todos
em fila indiana

J.F. de Souza disse...

Extremamente lisonjeado!

Obrigado! =)

Mirse disse...

Boa noite, Moacy. Vim conhecer este lugar tão falado na blogosfera. Gostei muito, ri muito e encontri matérias excelentes.No caso do Senhor das Alturas, e apenas para complementar sua caminhada pela humanidade, acabaram de encontrar escritos em aramaico, uma Bíblia, datada de muito antes de 1250.
Valeu pelo Zeferino Cabeção. Wellington precisa ler.

Um grande abraço

Mirse

adelaide amorim disse...

Amei a história, Moacy. O Balaio segue sempre melhor.
Beijo, boa semana!

Mirse disse...

Olá Moacy!
Voltei para dizer que acertei as configurações do PAZ e BEM. Não imaginei comentários ali.
Abraços
Mirse

romério rômulo disse...

moacy:
vejo que o mundo,a partir de caicó
e de outros lugares anteriormente relatados,se montou pelos chifres.
me pergunto como surgiram os azedos
tião de sabará e jamelão da mangueira.
romério

Renata Nassif disse...

Moacy,
Complementando o Romério, vejo que o mundo se monta, remonta e perpetua pelos chifres.

E ele ainda pergunta como foi que surgiram os azedos. A pergunta é como que foi surgiram os não-azedos, dada a essência desta origem mundial!

Beijooooo