terça-feira, 10 de março de 2009

Natal dos anos 20/30 do século passado:
a Praça Pe. João Maria (antiga Praça da Alegria)
e a Rua João Pessoa.
Ao fundo, as dunas do bairro da Solidão
(hoje, Petrópolis e Tirol)

Foto de autoria não-identificada,
a partir da torre da Catedral velha


BALAIO PORRETA 1986
n° 2593
Natal, 10 de março de 2009

O principal objetivo do escritor não é o que ele escreve. Sua necessidade primeira é escrever. Escrever, isto é, ausentar-se do mundo e de si mesmo para, eventualmente, fazer disso a matéria de elaborações literárias. É apenas num segundo momento que se põe a questão do "tema" a ser tratado.
(André GORZ. Carta a D.; história de um amor, 2006)


ALUMIADA
Lilia Diniz

Careço de ti
iluminando meus dias
com a lamparina
dos teus olhos


RECOLHIMENTO
Lisbeth Lima (RN)

Quando entro numa igreja,
uma igreja entra em mim.


CONDOMÍNIO
Adelaide Amorim
[ in Inscrições ]

o hálito
não te pertence
: perfume destinado
desde sempre
a quem te colhe
pétalas na pele


BEBENDO VOCÊ
Sandra Camurça

quero você na minha boca
inteiro
na minha boca
até a última gota


APRENDIZ DE FEITICEIRO
Simão Pessoa
[ in Matou Bashô e foi ao cinema ]

Poeta não é quem transa a terra e o mangue
Poeta não é quem traça a troça e o chiste
Poeta é quem põe a terra em transe


Repeteco
ALMANAQUE
Os filmes preferidos de FEDERICO FELLINI

[ reproduzido in
O Anjo Exterminador ]

Maciste all'inferno
(Brignoni)
Luzes da cidade
(Chaplin)
Fra' diavolo
(Roach, Rogers)
Frankenstein
(Whale)
No tempo das diligências
(Ford)
Paisà
(Rossellini)
2001: uma odisséia no espaço
(Kubrick)
O discreto charme da burguesia
(Buñuel)
Toto e Peppino divisi a Berlino
(Bianchi)
Entrevista
(Fellini)

12 comentários:

Barbara disse...

Cercado de bom gosto.
Gostei de vir aqui.

Marcos disse...

Amigos:

Como a Cidade do Natal era bonita! Sobrou algo, claro.
Abraços:

Marcos Silva

Jens disse...

Oi Moacy.
Terça-feira poética, predominantemente feminina? Gostei, claro. Mas gostei mais da citação do Anndré Gorz. Certeira.
Um abraço.

Mme. S. disse...

Não é que a Bárbara tem toda razão? E eu gostei especialmente do "Bebendo você", da Sandra Camurça. bjs, querido.

sandra camurça disse...

Menino, tou passando rapidinho só pra agradecer a (re)publicação do poeminha.
Beijos.
Ah, um beijo pra Sheyla também.

Francisco Sobreira disse...

Caro Moacy,
A lista de Fellini vem confirmar uma vez mais que os grandes diretores, via de regra, não são grandes cinéfilos. Não conheço o primeiro, o terceiro e o nono filmes. Mas se se pode aceitar "Entrevista", como, provavelmente, uma escolha de fundo afetivo, já que está atrás de muitos filmes dele, não se pode ter o mesmo procedimento em relação a "No Tempo das Diligências" e a "O Discreto Charme da Burguesia". Embora o primeiro seja um filme extraordinário, não é o maior de Ford, mesmo entre os "westerns". Já Buñuel tem filmes superiores a "O Discreto"..., embora goste muito desse filme. E cadê "Cidadão Kane","A Grande Ilusão", "A Regra do Jogo", entre outras obras fundamentais do cinema? Enfim... Um abraço.

Marcos disse...

Prezado Sobreira:

A maior cinefilia de Fellini foi fazer os filmes que ele fez, aproveitando muita coisa dos filmes alheios, como todo grande diretor o faz. Vc tem razão quando fala sobre o caráter afetivo da escolha de "Entrevista". É possível que o mesmo critério se aplique aos outros filmes. Pessoalmente, gosto muito de "2001", não sei se é o melhor Kubrick (o páreo é duro!). Enfim, gostei de encontrar Totó entre os favoritos dele: pode até não ser um grande filme mas é um grande ator-figura.
Abraços:

Marcos Silva

Lisbeth Lima disse...

Moacy,
agradeço a publicação do meu dístico Recolhimento...é sempre bom vir aqui;é sempre se ver aqui.
Um abraço, Lisbeth

Meg disse...

Moacy,
Porque é que as imagens do "antigamente" são quase universais!

E ser poeta não é coisa fácil... gostei do Aprendiz de Feiticeiro

Um cheiro

adelaide amorim disse...

Moacy querido, vim curtir os poeminhas e as companhias. Sempre ótimo, o Balaio.
Beijo!

Arteiros da Casa disse...

Moacy querido, obrigada pela visita no ranchinho e volte sempre que puder e quiser catar uns versim de nossa lavoura.

xerim

Lilia Diniz

Adrianna Coelho disse...


Oi, Moa!

Adorei esse post. Primeiro a foto, depois o que André Gorz fala sobre o escritor (ou sobre escrever)e todos esse poemas curtinhos e deliciosos...

Estou lendo mais, já que tenho que recuperar os capítulos eprdidos d'O Livro dos Livros...

p.s. reagi!

beijos