domingo, 5 de abril de 2009

Poema/processo
de

Moacy Cirne
in
Balaio n° 1101
(15/10/1998)


BALAIO PORRETA 1986
n° 2619
Natal, 5 de abril de 2009

A mesmice política, intelectual, artística e literária que assola o Brasil precisa e deve ser combatida por todos aqueles que acreditam no sonho, na poesia, no socialismo, na arte,
na aventura libertária.

(Moacy Cirne, in Balaio, n° 931, de 14/03/1997)


10 POETAS POTIGUARES
João da Mata Costa
[ in Substantivo Plural ]

Nei Leandro de Castro
Jorge Fernandes
Luiz Carlos Guimarães
Miguel Cirilo
Zila Mamede
Iracema Macedo
Othoniel Menezes
Ferreira Itajubá
Walflan de Queiroz
Adriano de Souza


A HORA DO BEIJO
Franzé Rodrigues
[ in Balaio, n° 905, de 13/11/1996 ]

Quando tua língua passeia
no céu da minha boca,
todos os demônios dizem amém.


POEMA
Jorge Pieiro
[ in Dimensão, n° 24, 1995 ]

ó passageiro finito,
que adianta saberes
tantas cousas
se nunca ousas?


SOLIDÃO
Milton de Godoy Campos
[ in Balaio, n° 1115, de 13/12/1998 ]

A chuva desenhava pássaros
no rosto indiferente das vidraças
Antes que cantassem
apaguei-os com a mão


TEXTO
Fábio François
[ in Odisseia Banal ]

Nunca mais vai existir um cara tão legal, tão foda, tão maneiro,
tão John Wayne quanto Clint Eastwood.


UMA SELEÇÃO
DAS ANALIDADES
FIOFAIS

Lá-vem-merda;
Berra bode, Fole gemedor e Lamparina de cego;
Aromático, Digníssimo, Trinxinxim e Excomungado;
Farinha azeda, Roda gigante e Arroz queimado.
Técnico:
Monossilábico.
Suplentes:
Atrevido, Arrogante, Deputado, Foba, Fi-o-fó, Frinfa e Fã-clube.

6 comentários:

Adrianna Coelho disse...


Oi, Moa!

Gostei muito dos poemas e do texto do François.

Agora... Trinxinxim?! Berra bode?! ahahahaa

só vc, viu!

beijos

romério rômulo disse...

moacy:
de certo,mais uma vez,feita uma consulta de forte teor cultural,o
google vai mostrar a importância deste balaio.
um abraço.
romério

Mirse disse...

Oi Moacy, boa tarde!
O Poema Processo, é algo de beleza única!
Os tres poemas, belíssimos!
1º lugar - Jorge Pieiro
2º lugar = Milton de Godoy LINDO!
3 lugar - Franzé Rodrigues

Quanto às análises "fiofais"...deixo para quem entende.

Beijos e Bom domingo

Mirse

Hercília Fernandes disse...

Moacy

o Balaio está mais que porreta, fenomenal!

Excelentes poemas e coisas. Parabéns!

Descato um que, particularmente, me arrepiou a alma e todos os mil sentidos, nesses dias em que "Dalila" (virose gripal que foi, poeticamente, denominada com esse lendário nome aqui pelo Seridó) resolveu se hospedar em minha casa...

"Quando tua língua passeia
no céu da minha boca,
todos os demônios dizem amém".

Belo demais!

Parabéns pelo conjunto da postagem.

H.F.

nina rizzi disse...

gozados. lúdicos. po(h)e(rmé)ticos :)

ave!

líria porto disse...

do começo ao fim, da tampa ao fundilho - esse balaio é 10!
besos