quinta-feira, 25 de junho de 2009

Matriz de São João,
em Açu,
região central do Rio Grande do Norte

Foto de
Jean Lopes


BALAIO PORRETA 1986
n° 2703
Natal, 25 de junho de 2009


Antes de escrever, eu olho, assustado,
para a página branca de susto.

(Mario QUINTANA. O terrível instante, in Caderno H)



PÁREO
Nel Meirelles
[ in Fala Poética ]

meu cavalo
serpenteia
pelas campinas
do teu ventre

o galope
germina
o trote
denso
do gozo


BARULHO
Lau Siqueira
[ in Poesia Sim ]

palavra
por palavra
minha úlcera
de verbos
tece aos poucos
a membrana
do silêncio

[ do livro O comício das veias ]


ÊXODO
Gilberto Mendonça Teles
[ in Plural de Nuvens, 2006 ]

Chegamos à planície, onde teus olhos
inventarão o azul dos horizontes
escandidos nas unhas, como os versos
na fábula dos dias impossíveis.
Aqui o tempo enrola seus casulos
de terras e de mares estrangeiros.
E o mito desenrola-se nas sedas
da longa solidão que desfazemos.
Nestes campos noturnos nosso povo
construirá seu reino na linguagem
da Terra Prometida, que buscávamos
neste êxodo sem fim, que agora finda.


Recomendamos
Conversas de um velho safado
SEMPRE NO MEU CORAÇÃO
Jens
[ in Palimpnoia ]

Talvez um dos maiores mistérios da humanidade jamais seja desvendado: as razões que determinam a paixão clubística. Refiro-me, claro, ao rude esporte bretão. O que faz com que, em não poucos casos, o sujeito desafie a lógica familiar e torça por um clube diferente daquele preferido pela maioria do seu clã? Quando era meninote, por exemplo, o Glorioso Esquadrão Alvi-Rubro dos Pampas era o time do coração dos Silvas, à exceção da mana Rosa que deixou-se encantar pelo tradicional adversário, o Tricolor da Azenha (para quem não é afeito às coisas do mundo da bola, o primeiro é o Internacional e o segundo o Grêmio Porto Alegrense). Não tenho a mínima idéia do que motivou nossas escolhas – quando dei por mim já era colorado; o mesmo aconteceu com ela.

Como toda paixão intensa, o futebol é fonte de grandes alegrias. Poucas coisas dão tanta satisfação ao aficionado como comemorar um título de campeão (pessoalmente, desconheço orgasmo que se iguale ao prazer que o Inter me proporcionou quando conquistou o Campeonato Mundial de Interclubes em cima do Barcelona). [ Clique aqui para ler o texto completo. ]


O SUBPENSAMENTO VIVO DE
MARCONI LEAL

/Dois fragmentos/

A história é sempre contada pelos vencedores. Vejam, por exemplo,
o diabo como foi injustiçado.

Durante décadas tentei manter um diálogo com deus. Desisti faz alguns anos. Não dá. Ele se acha muito superior.


BODEGA DO CHICO DOIDO DE CAICÓ

Bebes & comes:

* Guaraná Doidão:
Guaraná em pó batido durante 69 segundos com 200ml de cachaça (Topázio ou Samanaú, preferencialmente), uma barra de chocolate amargo, uma colher de sopa de gengibre, dois cálices de licor de amendoim e o leite da mulher amada, à vontade.
Parede: Ovo de codorna. Cru. Com casca e tudo o mais.

* Açaí Porreta:
Suco de açaí batido durante 55 segundos com três cálices de licor de chocolate, um pouco de mel e uma colher de sopa de proteinato, temperado com o sorriso da mulher amada.
Parede: Queijo de coalho. Assado.

* Goiaba Escandalosa:
Uma taça de vinho do porto, sorvete de chocolate (duas bolas caprichadas) e uma goiaba. Mistura para ser batida durante 43 segundos. Sob o olhar da mulher amada.
Parede: Queijo do sertão. Derretido.

* Caju Diabólico:
300ml de cachaça. Da boa. Topázio, Seleta, Samanaú, Rainha, Ferreira, Germana, tanto faz. Não precisa bater. Pode-se beber aos poucos, em três ou quatro talagadas.
Parede: Caju. Bastante caju.

E na entrada principal da Bodega,
um poema de Chico Doido de Caicó:

Reconheço: sou mentiroso dos bons
Mas uma coisa é tiro e queda
Queda e tiro sem talvez
Mulher comigo sempre terá vez.

15 comentários:

Marcos disse...

Moacy:

A fotografia de Jean Lopes parece um Volpi berrante: geometria e cor. Uau!
Abraços:

Marcos Silva

líria porto disse...

o poema do chico doido me lembrou o poetinha - um dia ele disse algo assim:
enquanto eu tiver língua e dedo
mulher não me mete medo

besos


saudades do nell...
besos pro lau que, felizmente, continua bem vivo!

Mariana Botelho disse...

ótemos poemas, moa!

Mme. S. disse...

Que pena, que pena, que pena. Acho que meu coração soprou alguma coisa sobre sua presença, quando lhe questionei a primeira vez. Mas, não se preocupe, entendo essa correria. Um cheiro de relva pra vc, S.

ana de toledo disse...

Prezado Sr.
pode-se saber o motivo do abandono???

Dilberto L. Rosa disse...

Há uma igreja de São João igualzinha a essa aqui em SLMA! Quintana e Jens estão entre o melhor do RS! E essa foto surreal do Maraca foi de arrepiar... Abração, meu caro!

Jens disse...

Pô, Moacy, obrigado pelo destaque, ainda mais por me colocar nas companhias ilustres de Marconi Leal e mestre CDC. Juntando isto à derrota do Tricolor da Azenha ontem à noite (3 X 1 para o Cruzeiro), só falta o Inter ganhar da LDU hoje à noite, em jogo válido pela Recopa, para tornar a minha quinta-feira perfeita.
Pra comemorar, vou experimentar o Guaraná Doidão.

Um abraço.

Beti Timm disse...

Mr. Moacy, Chico Doido é porreta mesmo, até no quesito degustação se supera. E olha o que encontro aqui: O Jens merecidamente se refestelando no Balaio!

Coisas de Mestre Moacy!

Beijos carinhosos.

mario cezar disse...

ah! moacy, a bodega de chico tá um nicho de formosura. futucações gastronômicas e afolozantes

nina rizzi disse...

macho, diabéisso de poetada! que gostosura. nell só fala de coisa boa arranjando tudo. ai, se esse cavalo resolve germinar em meu ventre, ai. num sobra nem verbos, nem silêncios: já é a terra prometida! e aí sim, eu virava historiadora e contava a gistória do lado dos vencidos, sem maquineísmos, jurava até de pés juntos por todo futebol!

camarada-camarada, eu sou DOIDA por açai. inda já vou lá fazer um desses, sem sorriso, mas... à noite pode ser que imbole um caju diabólico pra compensar ;)

beijo, poetêro!

romério rômulo disse...

moacy:
o chico doido é como o bardo camões:
mulherengo,mas romântico.
um abraço.
romério

BAR DO BARDO disse...

TUDUBÃOMASASRECEITA...

Mirse disse...

Esse Jean, é O fotógrafo artista de primeira!

Os poemas , todos lindos!

AMEI o Marcvoni Leal...Muito bom!

Chico doido...é figura lendária de Caicó. ou é você, Moacy? Me bateu essa dúviada...


Parabéns!

Beijos

Mirse

Giuliano Quase disse...

viva o chico doido

giulianoquase

Cosmunicando disse...

essa do quintana é tudo e mais um pouco.

o Lau faz barulho em silêncio, nem precisa gritar...

adorei o Marconi Leal também, detesto injustiças =))

agora, essa bodega do CDC é de matar a pau... vixe nossinhora dos fígados despedaçados... rs

beijo