sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Foto:
Yves Noir


BALAIO PORRETA
n° 2773
Rio, 4 de setembro de 2009

Toda escrita tem uma história. ... O mergulho [no] mundo do sertão foi tão forte que temi ser engolida por ele. Estava sufocada. Comecei a escrever.
(Maria Conceição de GÓES. Mulheres do sertão, 2001)


ARTE
Nivaldete Ferreira
[ in Lápis Virtual ]

Uma gente sem arte
não arde:
cinza-se.


SOUSOURITA
José Bezerra Gomes
[ Publicado originalmente por Berilo Wanderley,
na coluna Revista da Cidade, da Tribuna do Norte (Natal),
em 15 de junho de 1960 ]

Tende consideração
ela é uma criança
Ela quer perguntar pela irmã
deixem deixem deixem
É sousourita
dormindo acordada
sousourita
sousourita
sousourita
acordada
dormindo
por sousourita
por sousourita
por sousourita

[ Pesquisa: Willian Pinheiro, de Currais Novos ]
Nota do Balaio:
Sousourita é um nome de mulher, já explorado anteriormente por JBG.
Sua grafia com "s" minúsculo pode ser proposital,
assim como pode ser um erro de datilografia e/ou revisão.
De comum acordo com o pesquisador seridoense, resolvemos mantê-lo
tal qual se deu a publicação na TN.
O poeta Lívio Oliveira, d'O Teorema da Feira, tem divulgado poemas
inéditos de Zila Mamede a partir do trabalho de garimpagem
do próprio Willian Pinheiro.


EPÍGRAFE
para Indícios de ouro (1937, ed. póstuma)
Mário de Sá-Carneiro
[ in Todos os poemas, 1974 ]

A sala do castelo é deserta e espelhada.
Tenho medo de Mim. Quem sou? De onde cheguei?...
Aqui, tudo já foi... Em sombra estilizada,
A cor morreu --- e até o ar é uma ruína...
Vem de Outro tempo a luz que me ilumina ---
Um som opaco me dilui em Rei...


APOCALIPSE
Linaldo Guedes
[ in Zumbi Escutando Blues ]

os ganchos
já estão
me levando

os anjos louvam: é hora de dormir.


POEMA de
CHICO DOIDO DE CAICÓ

Nunca comi Maria Antonieta Pons
Nunca comi Terezinha Morango
Nunca comi Elizabeth Taylor
Nunca comi Martha Rocha
Nunca comi Kim Novak
Mas comi todas as raparigas do Cai Pedaço

TURISTA
Líria Porto
[ in Tanto Mar ]

penduro-me como morcego
em teu ponto cego
e assim
sem que o percebas
bebo teu sangue gosto de morango
durante as férias


E QUANDO VIER O DIA
Adriana Godoy
[ in Voz ]

e quando vier o dia
os homens estarão mortos
as crianças tristes e perdidas
e órfãs as mulheres

quando vier o dia
ficarão pássaros com asas queimadas
e o grito insano da cidade

estaremos sedados
a noite e o país em pedaços

melhor fechar as janelas
e não ouvir

estaremos seguros em nossas casas
e alguém dirá que não existe guerra


POEMA de
ZÉ LIMEIRA
segundo Orlando Tejo

O velho Thomé de Souza,
Governador da Bahia,
Casou-se e no mesmo dia
Passou a pica na esposa.
Ele fez que nem raposa:
Comeu na frente e atrás.
Chegou na beira do cais,
Onde o navio trefega
Comeu o Padre Nobréga,
Os tempos não voltam mais.


Memória 1980
OS MAIS IMPORTANTES FILMES BRASILEIROS
segundo Sérgio Augusto, jornalista cultural
[ in Revista de Cultura Vozes, agosto 1980 ]

Fragmentos da vida (José Medina)
Ganga bruta (Humberto Mauro)
Nem Sansão, nem Dalila (Carlos Manga)
Rio, 40 graus (Nelson Pereira dos Santos)
O grande momento (Roberto Santos)
Vidas secas (Nelson Pereira dos Santos)
Deus e o diabo na terra do sol (Glauber Rocha)
São Paulo S/A (Luís Sérgio Person)
A falecida (Leon Hirszman)
Terra em transe (Glauber Rocha)
O bandido da luz vermelha (Rogério Sganzerla)
Macunaíma (Joaquim Pedro de Andrade)

17 comentários:

Nivaldete disse...

Vi! Obrigada... Talvez ficasse melhor ainda menorzinho:
Sem arte
não se arde
cinza-se...

Um abraço (adoro os ditos de Chico Doido)

Marcos disse...

Amigos:

É muito bonita essa fotografia com a pele da mulher preparada (granulada), lembra a abertura do grandioso "Hiroshima meu amor".
Os momentos de cinema evocados por Sobreira são bem escolhidos. Realço, no desfecho de "Sinfonia de Paris", a magnífica articulação da cor com o preto e branco na citação de pinturas.
Abraços:

Marcos Silva

BAR DO BARDO disse...

ok!

temos minhas amigas adriana godoy e líria porto (que são feras & belas).
temos zé limeira, que nem comentamos.
o seu chico, outro douto doudo.
e mais o "poeminha" da nivaldete ferreira que se encaixa n'eu...
os demais no mesmo tom, altíssimo!

anareis disse...

Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção

líria porto disse...

é preciso muito peito pra viver - as mães que o digam!

obrigada, moacy, adoro cair no balaio, ainda mais em tão boas companhias!
besos

Lívio Oliveira disse...

Toda a postagem está maravilhosa. A começar da belíssima foto, passando por todos os textos/poemas e as dicas importantes sobre cinema.
Valeu, mesmo, Moacy!

Mirse Maria disse...

Bom dia, Moacy!

Hoje está demais! Fotografia belíssima!

Poemas de igual forma com Chico Doido dando a arte final!

Parabéns a todos os poetas e poetisas.

Beijos

Mirse

orlando pinhº d-silva disse...

uma gente com arte
refaz-se:
das cinzas

Adriana Godoy disse...

Moacyr, fico orgulhosa de estar no meio de tanta gente boa. Obrigada mesmo e parabéns pela escolha dos outros poetas. Beijo.

Ines Motta disse...

Oi, Moacy!
Que Porreta esse balaio.
Que doido esse chico.
Que f... esse Zé Limeira.
Beijos.

Mme. S. disse...

Estive com ela (Nivaldete) ontem. Ela é incrivelmente simples, nem percebe que nos ensina coisas enquanto respira.
Beijos Moacy, bom final de semana.

romério rômulo disse...

moacy:
é fundamental ler no nassif
"o que o serra pensa sobre o
pré-sal".

romério

Bar de Ferreirinha 50 anos, desde 1959 disse...

Mestre, já que o critério para entrar na Academia é PUTARIA,que tal Chico Doido de Caicó em todas.Viva Chico Doido.

Manoel de Oliveira Cavalcanti Neto disse...

A arte da magnífica foto continua nas poesias bem selecionadas. Parabéns Moacy.

Theo G. Alves disse...

o william pinheiro tem feito um ótimo trabalho com suas contribuições para a memória potiguar. um pesquisador compromissado, arrojado e atrevido, qualidades que um bom pesquisador precisa ter. os resultados só poderiam ser esses mesmo. parabéns ao william.
abraço!

Marcelo Novaes disse...

Moa,



Destaque para o poema do Chico Doido, que se revela por exclusão.






Abraços,








Marcelo.

Beti Timm disse...

Mestre,

Chico Doido, é sensacional, se pudesse eu atravessaria muitos mares, para tão sómente lhe beijar a face. Como ele não está mais entre nós, beijo-lhe, a sua, que o divulga sempre. Tenho todos os versos dele! Adoro a picardia simples dele!

Beijos carinhosos