segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Alvorecer nas falésias
de Morro Branco, em Beberibe, CE
Foto:
Alex Uchôa


BALAIO PORRETA 1986
n° 2897
Rio, 11 de janeiro de 2010

Aprenda a lógica do último dos gênios. Ouça o lobo uivando.
(Marcelo NOVAES, in Nano, cf. Prosas Poéticas)



HORÓSCOPO DA SEMANA

Áries
Um livro para ler: Antologia, de Adília Lopes.
Uma cachaça para beber: Topázio, de Entre Rios de Minas.
Um sonho para sonhar: a Biblioteca de Babel.
À tarde, ouça Beethoven; à noite, Jacob do Bandolim.

Touro
Uma visita para fazer: o Bar Papo Furado, em Natal.
Um lugar para conhecer: Lençóis, na Chapada Diamantina (BA).
Uma sinfonia para ouvir: a Nona, de Beethoven.
À tarde, leia Dostoiévski; à noite, folhetos de cordel.

Gêmeos
Um amor para amar: Van Gogh. E Brueghel, o Velho.
Uma cachaça para beber: Samanaú, de Caicó.
Um lugar para conhecer: São Saruê. Ou Pasárgada.
Um choro para ouvir: Vou vivendo, de Pixinguinha.

Câncer
Um passado para visitar: o Rio dos anos 40.
Um filme para evitar: Avatar.
Uma livraria para explorar: Folha Seca, no Rio.
Um autor para descobrir: Marcius Cortez (RN / SP).

Leão
Uma revista para ler: Carta Capital, de São Paulo.
Um cinema para descobrir: o africano. E o tailandês.
Uma cidade para amar: Luanda, em Angola.
À tarde, leia as HQs de McCay; à noite, ouça Brahms.

Virgem
Um autor para agitar: Jomard Muniz de Britto (PE).
Um straubiano para conhecer: Marcelo Ikeda (RJ).
Uma viagem para fazer: a poesia de Affonso Ávila (MG).
Um som para ouvir: o barulho da chuva no sertão.

Libra
Um poeta? Cabral. Ou Drummond.
Um escritor? Kafka. Ou Thomas Mann.
Um cineasta? Fellini. Ou Antonioni.
Uma cidade? Caicó. Ou Paris.

Escorpião
Um enigma para decifrar: o final de 2001.
Um rio para se emocionar: o Potengi, em Natal.
Um poeta para admirar: João Cabral de Melo Neto.
Um livro para sonhar: A psicanálise do fogo, de Bachelard.


Sagitário
Um amor para amar? Bach, Brahms e Beethoven.
Um sonho para sonhar? Eisner, Moebius e Crumb.
Um arrepio para arrepiar? O ser amado, sempre.
À tarde, ouça Noel Rosa; à noite, Mahler.


Capricórnio
Um poeta para ler: Luís Carlos Guimarães (RN).
Um cineasta para ver: Vladimir Carvalho (PB / DF).
Um lugar para curtir: Ecovila Pau Brasil, em Pium (RN).
Um filme para conferir: Ervas daninhas, de Alain Resnais.

Aquário
Um crepúsculo para colecionar: o de seu lugar.
Um sonho para guardar: com a pessoa amada.
Uma bebida para saborear: cajuína. Ou caldo de cana.
Um livro para presentear: Canto de muro, de Cascudo.


Peixes
Um vinho para beber: o leite da mulher amada.
Uma sonata para ouvir: qualquer uma de D. Scarlatti
Um poço para sonhar: o da Bonita, em São José do Seridó.
Uma viagem para fazer: para os olhos do(a) amado(a).


Serpente
Seja um passarinho: leia Mário Quintana.
Seja um livro: reescreva a sua vida.
Seja um ateu convicto: leia a Bíblia.
Ouça um lobo uivando, em São Paulo.

9 comentários:

BAR DO BARDO disse...

O geminiano agradece de novo!

nina rizzi disse...

pelos meus dez mil arrebóis, é isso: "terras do meu Ceará!"

mais ma vez eu sou todos os signos. todos.

sobre a diretiva: evite avatar, veja só a lista, feita por Pedro Martins Freire, do Diário do Nordeste (argh), dos dez melhores filmes da década dos anos 2000:
1- Avatar/ Cameron (uhhhhhhhhhhhhhhh);
2- A queda/ Hirschbiegel;
3- Wall-E/ Stanton (uhhhhhhhh2);
4- Cidade de Deus/ Meireles;
5- O segredo de Brokeback Mountain/ Lee;
6- Mestre dos mares/ Weir;
7- Sob a névoa da guerra/ Morris;
8- Intervenção Divina/ Suleiman;
9- Em busca da vida/ Zhang-ke;
10- Lugares comuns/ Arastarain.

Achou ruim? besteira muita é bobagem, camarada: "responsável por destruir a ideia da chamada 'Nova Hollyood' (Scorcese, Lucas, Spielberg, Altman, Bodganovich, DePalma) e devolver o poder aos produtores [...] a megalomania e o fracasso de Apocalipse Now e O portal do paraíso". Como diz o Assis "é de torar".

E sobre o comentário do prof. João daMata 'li embaixo, eu já tinha procirado a obra com o nome de "A mijona" e no plural também, mas não encontro... No mais, a a revolução é vermelha, a fraternidade é vermelha, o balaio é vermelho e... puxa, eu fiquei vermelha...

Viva a Balaiada.
Um cheiro :)

A Magia da Noite disse...

bem estou longe demais para poder visitar esse lugar para curtir.

Assis Freitas disse...

Taí, esse horóscopo do Balaio é de torar. Abraço.

Carito disse...

Gosto de ficar com cara de paisagem, quando a paisagem é como essa. É indescritível sentir no rosto um dos mais belos trechos do litoral do planeta: de Gostoso no RN a Canoa Quebrada no Ceará, impera o sertão-mar. De geografia dramática e épico cine de norte-realismo fantástico, explodem Áfricas de cá, Galos e Galinhos, Barreiras e Diogo Lopes, Ponta do Mel e Ponta Grossa... O filme do post anterior, El Topo, se exala por aqui, se exila por Dali, não sei se Salva-a-dor, mas a coloca em outro plano onde não para-raio - viva o Balaio!

Marcelo Novaes disse...

Moa,




Depois de se ouvir Mahler, Noel, Brahms e o barulho da chuva no sertão, em São Paulo há um lobo uivando...




;)









Abração,










Marcelo.

Nydia Bonetti disse...

Ouço lobos uivando por aqui, mas também ouço o barulho da chuva no sertão. Sinfonias.

Beijo, Moacy!

Bené Chaves disse...

Eita, eita, Moacy, que o Cinema está de luto. Morreu hoje o grande cineasta Eric Rohmer.
Mais um que se vai nesta rota sem sentido...

Um abraço,
Bené

Sônia Brandão disse...

Ai, essa linda imagem das falésias mexe comigo, me dá uma saudade danada do Ceará.

bjs